ARREBATAMENTO

A tão discutida vinda de Cristo é sempre assunto polêmico, atual e por muitas vezes, para a grande maioria das pessoas, um tema obscuro e desconhecido. Uns crêem na sua vinda, mas não sabem como se dará, outros perderam o temor e já não acreditam em mais nada. A grande maioria, porém, permanece indiferente, fria, alheia ao Evangelho. 

Nos últimos dias, disse Pedro “…virão escarnecedores com seus escárnio, andando segundo suas próprias paixões, e dizendo: onde está a promessa da sua vinda?” porque desde meninos ouviram falar e hoje são adultos e Ele ainda não veio. Um dia vem após o outro e todas as coisas permanecem como desde o principio da criação. E zombam dizendo: ” Isso é conversa dos crentes”. Dando de ombro saem sem dar a menor importância. 

"Mas amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não retarda a sua promessa ainda que alguns a têm por tardia: mas é longânimo para convosco, não querendo que alguns se percam, se não que todos venham a arrepender-se." (II Pe 3.8,9). 

Deus continua a esperar que você se arrependa e se converta, e é por isso que nós te rogamos da parte de Cristo que vos reconcilieis com Deus, porque “vivo eu diz o Senhor Jeová, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho e viva” (Ez. 33.11). 





Não tendo em conta os tempos de ignorância, Deus anuncia agora a todos os homens e em todo o lugar, que se arrependam “Arrependei-vos pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham a ser os tempos do refrigério pela presença do Senhor” (At. 3.19) “porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, que quer que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (II Tm 2.3,4). 

Jesus disse: “… Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz” (Jo 18.37b). 

Ouvir a voz de Cristo é ter um encontro com a verdade “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo 8.32). E então as dúvidas serão dissipadas, as amarras que te prendem desfeitas e as cadeias da escuridão despedaçadas pelo poder de Deus. Raiará em sua vida a LUZ que é Jesus, e Ele mesmo é o que te diz: “Vinde a mim e eu vos farei pescadores de homens”. 

Deus criou o homem para a sua glória (Is 43.7), para ser a coroa de toda a criação. Fez ao homem reto, mas eles buscaram muitas invenções. 

No início a glória de Deus vestia o homem, que gozava de plena comunhão com o seu Criador. Isso antes que a terrível serpente destilasse o veneno que intoxicaria o homem até à alma, causando o seu tropeço e a sua queda. Como um filho rebelde que deixa a casa do pai, o homem chegou para Deus e disse: “Já sou maior de idade, vacinado, dono do meu nariz. Eu faço da minha vida o que eu quero”. E virando as costas para Deus tomou sua própria estrada “Há caminhos que ao homem parece ser bom, mas o seu fim são caminhos de morte” (Pv 14.12). 

O homem ignorou o seu criador, rejeitou a sua face. E corrompendo-se nos seu caminhos, se atolou na lama do pecado. Vazio de Deus andou desgarrado e errante, como ovelha que não tem pastor. 

E Deus contemplou o homem caído, perdido, e o chamou de volta através de Cristo. Na verdade não foi Deus quem se afastou do homem, mas o homem que se afastou de Deus. Mas Ele não se esqueceu do homem, Ele ama o pecador mas aborrece o pecado, por isso “Amou o mundo de tal maneira, que deu o seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crê, não pereça mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16) 

E o Senhor Jesus Cristo deixou a sua Glória, a presença do Pai e dos anjos e esvaziando-se de si mesmo, se fez semelhante aos homens (Fp 2.7) e “O verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1.14). A luz verdadeira veio ao mundo para iluminar os que andam assentados nas trevas e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz (Lc 1.79). 

Ele veio dar a sua vida em resgate de muitos (Mt. 20.28) e com preço de sangue firmar uma Nova Aliança, tornando-se o Único Mediador entre Deus e os homens (I Tm 2.5). Pelo seu sangue derramado no Gólgota o Senhor abriu a porta da Graça, trazendo salvação a todos os homens. 

Verdadeiramente Deus encarnou-se em Cristo para que no seu próprio corpo pudesse levar à cruz as penalidades que eu você estávamos sujeitos. “As nossas dores levou sobre si… Ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidade: o castigo que nos traz a paz estava sobre ele… Ele foi oprimido mas não abriu a sua boca: como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a sua boca” (Is 53). 

Ele nasceu numa estrebaria e cresceu trabalhando numa carpintaria “…homem de dores, e experimentado nos trabalhos …” (v.3) em meio a estrema pobreza, para dar-nos o direito de habitar em meios às riquezas dos seus átrios, e palmilhar as ruas douradas da Nova Jerusalém. 

Ele foi rejeitado pelos homens para nos fazer aceitáveis a Deus, fatigou-se em viagens e trabalhos para dar-nos repouso no seio de Abraão (Lc 16.22). 

Ele foi vestido de um manto de vergonha no ato da sua crucificação, para nos vestir com o linho branco da sua justiça. 
Foi coroado com uma cora de espinhos para pudéssemos usar uma coroa de glória. 
Ele foi desamparado na cruz, para nos colocar sob os constantes cuidados do Pai. 
Morreu na cruz do calvário para nos fazer participantes da Vida Eterna. 
Desceu às regiões mais profundas, para dar-nos o direito de subirmos e morarmos nos mais altos montes das moradas do Altíssimo. 
"Cristo morreu por todos, para que os que vivem, não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou" (II Co 5.15).

Cristo morreu por nossos pecados segundo as Escrituras, para nos remir de toda a iniquidade e purificar para si um povo seu, especial, zeloso de boas obras (Tt 2.14). Com seu sangue comprou para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação (Apoc 5.9 a). Esse povo se encontra separado para Cristo e aguarda com expectativa a vinda do Senhor. É a Igreja do Deus Vivo, a noiva de Cristo: coluna e firmeza da verdade (I Tm 3.15 b). 

O Senhor Jesus Cristo voltará sem dúvida para buscar a sua Igreja, o povo adquirido, a nação santa a que se referiu o apóstolo Pedro em sua primeira epístola (I Pe 2.9). 

Levou sobre o seu corpo no madeiro os nossos pecados (I Pe 2.24 a) 

As pessoas costumam freqüentarem igrejas, mas as vezes não param para perguntar POR QUE? Por que tantas igrejas, das mais variadas denominações, por que tantas religiões e seitas, de doutrinas e costumes diferentes, se só há um único Deus e um só Caminho para se chegar até Ele ? 

Igreja é a tradução do termo grego “EKKLESIA” que no sentido comum e lingüístico grego significa “chamado, convocado, reunido”. Literalmente quer dizer: “Os chamados para fora”. Mas para fora do que, você pode perguntar; a resposta é: DO MUNDO. 

Em Romanos cap. 1 verso 1 está escrito: “Paulo, servo de Jesus Cristo, CHAMADO para apóstolo, SEPARADO para o evangelho de Deus”. No verso 6 ele ainda acrescenta: “Entre os quais sois também vós chamados para serdes de Jesus Cristo”. Na verdade, cada ser humano recebe o chamado de Deus para a salvação, quando alguém atende pela fé a este chamado “Vinde a mim” (Mt 11.28) é logo “tirado para fora” deste mundo de pecado e “separado” para fazer parte da Igreja. Da ÚNICA, verdadeira e poderosa Igreja do Senhor. Quem faz isto não é o homem, e sim o Espírito Santo de Deus. 

Desde o momento em que aceitamos a Cristo e o confessamos como Salvador, passamos a estar no mundo sem sermos do mundo: “Não sois do mundo” (Jo 15.19), disse Jesus, mas estrangeiros e peregrinos na terra (Hb 11.13 b). Quem ainda está no mundo fazendo a vontade da carne e dos pensamento conforme Efésios 2.1-3, ainda está em trevas, e por conseguinte, separado de Deus. 

EXISTE UMA SÓ IGREJA, um só povo de Deus, e o Senhor conhece os que são seus (II Tm 2.19). Esta é constituída por crentes de todos os tempos e lugares, unidos a Deus pela salvação alcançada em seu Filho Jesus. Redimidos em Cristo foram feitos novas criaturas mediante um novo nascimento (Jo 3.3) 

Está sendo preparada e adornada pelo Espírito Santo para ser apresentada a Ele como “Igreja gloriosa, sem mácula, nem rugas, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível” (Ef 5.27). 

A igreja como uma noiva fiel, que aguarda seu noivo que está de viagem, permanece esperando com paciência o seu Amado “JESUS CRISTO”. Apesar da distância, ela a igreja tem a promessa que Ele vai voltar, para então casar-se com ela. Toda vez que a saudade aperta ela lê cheia de gozo, a carta amorosa deixada por nosso POR Jesus Cristo o noivo: A Bíblia Sagrada. Para confortar o seu coração e senti-lo mais perto de si. 

Mesmo diante de tantos convites que o mundo oferece, ela não sai com outro (falsas doutrinas) nem se prostituí com o mundo, mas conserva-se de branco, virgem e pura para o seu Senhor. 

É o amor que a preserva. Jesus disse: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama…se alguém me ama guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada” (Jo 14.21,22). 

Existe somente uma Igreja fiel: “A noiva de Cristo”. A qual será revelada no dia do arrebatamento. 

"Estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo" (II Co 11.2) 

Oração de Jabez

“Foi Jabez mais ilustre do que seus irmãos; sua mãe chamou-lhe Jabez, dizendo: Porque com dores o dei à luz. Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Oh! Que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido”. 
1Cr 4:9-10

No versículo seguinte, a lista de chamada dos membros da tribo de Judá continua como se nada tivesse acontecido: Quelube, irmão de Suá, gerou a Meir… 

Havia alguma coisa especial neste homem que foi capaz de levar o historiador a fazer uma pausa na ladainha, limpar a garganta e mudar a forma.

Parece que ele está dizendo: “Ei, espere um pouco. Você precisa saber algumas coisas sobre este cara chamado Jabez. Ele está muito acima do resto!”.

Qual foi o segredo da reputação duradoura de Jabez? Você poderá procurar em todas as páginas da Bíblia, como eu já fiz, e não vai achar nenhuma outra informação além da que aparece nestes versículos:

• As coisas começaram mal para uma pessoa que ninguém conhecia.

• Ele fez uma oração comum, de apenas uma frase.

• Tudo acabou excepcionalmente bem para ele.

Está claro que o resultado pode ser atribuído a sua oração. Alguma coisa presente no pedido simples e direto que Jabez fez a Deus mudou sua vida e deixou uma marca permanente nos livros históricos de Israel:

“Oh! Que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição”.

À primeira vista, os quatro pedidos podem ser considerados sinceros, sensíveis, até mesmo nobres, mas jamais seriam chamados de notáveis. Abaixo da superfície, porém, está um poder enorme, um novo e poderoso paradigma que corre contrário à nossa maneira comum de pensar.

Qual foi a última vez que Deus atuou através de você de tal modo que você reconheceu tratar-se indubitavelmente de uma ação divina? 

Sendo mais específico, quando foi que você viu milagres acontecendo com regularidade em sua vida? Se você é como a maioria dos cristãos que conheço, você não sabe pedir este tipo de experiência, nem se deve fazê-lo.

Meu amigo, Deus lhe reserva uma enorme quantidade de bênçãos não pedidas, todas a sua espera. Sei que isso parece impossível – até mesmo um pouco suspeito nestes dias de tanto egocentrismo. Mas é justamente esta dinâmica – seu anseio pela plenitude que vem de Deus – que tem sido a terna vontade do Pai para sua vida desde o início dos tempos. 

Se, de sua parte, você cumprir uma série de compromissos fundamentais, então poderá caminhar, doravante, com confiança e expectativa de que nosso Pai celestial realizará todas estas coisas.

Pense assim: em vez de ficar esperando à beira do rio, pedindo um copo com água para conseguir viver cada dia, você vai fazer algo impensável:

vai pegar a pequena oração da grande recompensa e vai mergulhar no rio! A partir deste momento, você permitirá que as correntezas amorosas da graça e do poder de Deus o envolvam e carreguem para a vida que ele preparou para você, uma vida profundamente significativa e gratificante.



O PARADOXO DO CRISTÃO Salmo 27 

                                    O  HOMEM  DE  FÉ

         Vamos começar com uma pergunta: Você já se sentiu muito confiante num dia, e no mesmo dia muito desanimado? Você já sentiu que tudo estava muito bem de manhã, e à tarde, tudo já estava muito mal? Você tem altos e baixos em sua experiência cristã?

      Pois Davi também teve a mesma experiência que você. O salmo 27 nos conta sobre o paradoxo da vida de Davi e, por inferência, ”O Paradoxo da vida Cristã”.

     O Salmo 27 é excelente para melhor compreendermos a natureza da fé do homem de Deus. O Salmo 27 apresenta o grande paradoxo da vida cristã: de um lado a fé é confiante e segura em Deus; de outro ela é totalmente dependente, humilde e submissa.

     Temos aqui neste salmo as 2 formas da fé:

1 - Primeiro (v. 1-6), Davi expressa sua inquebrantável confiança no Senhor, mesmo quando um poderoso inimigo o ameaça com a morte (v. 1, 2), e confessa sua completa certeza de vitória.

2 - Contudo, o Salmo 27 é um exemplo dramático de como a fé triunfante se torna a fé militante. Como isso ocorre? Essa mudança pode ser observada quando Davi primeiro fala acerca de Deus (v. 1-6), para depois falar diretamente a Deus (v. 7-12).

      Qual é, portanto, a mensagem do salmo? Este salmo é um hino à fé genuína; e como aprendemos sobre a natureza da fé verdadeira, vamos dar um 2o  título: ”O Homem de Fé.” Podemos compreender facilmente a mensagem deste salmo nas seguintes divisões:

    – O homem de fé possui 2 coisas.

    – O homem de fé busca 3 coisas.

     As 2 coisas que possui são contrárias, paradoxais: Ele possui segurança como é visto na introdução e esperança como vemos na conclusão. Mas, se ele já possui segurança de salvação, como a espera? E há 3 coisas que busca, que são tão relacionadas entre si, que realmente são uma coisa só.

     Salmo 27:1-3: “O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo? O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei? Quando malfeitores me sobrevêm para me destruir, meus opressores e inimigos, eles é que tropeçam e caem. Ainda que um exército se acampe contra mim, não se atemorizará o meu coração; e, se estourar contra mim a guerra, ainda assim terei confiança.”

INTRODUÇÃO: O HOMEM DE FÉ TEM SEGURANÇA

     Davi é um homem de fé genuína, e ele expressa isso nas palavras iniciais deste salmo. Sua fé é confiante, tem plena certeza em seu coração, porque como disse Paulo aos Hebreus, fé é uma certeza, fé é uma convicção. Qual é o objeto da fé do rei Davi? É o próprio Deus, cujo nome é Jeová, palavra aqui traduzida por Senhor. O que significa Jeová para Davi? Quem é Deus para o homem de fé?

     V. 1 – “O Senhor é a minha Luz”  E nós que possuímos  a revelação cristológica deste salmo, podemos dizer sem engano:          Jesus Cristo é a minha Luz. Ele é o Sol da Justiça, Cristo é a Luz do mundo.

     Cristo é a Luz que espanca as trevas da ignorância, do desespero e do pecado. Ele elimina também as trevas da morte. Cristo pode iluminar o caminho do crente, pode ser a Fonte da vida, porque a razão de ser Cristo a Luz é porque Cristo é Fonte da vida, visto que a luz é fonte de vida para nós outros.

     Mas notem o possessivo “minha Luz”. Para Davi Jeová não era apenas a Luz do mundo, o Sol da Justiça. Ele disse: “Jeová é a minha Luz.” Isso significa uma religião pessoal com Deus. De fato, a verdadeira religião não consiste em formas, em cerimônias, em regras, em leis e mandamentos. A verdadeira religião está baseada num íntimo relacionamento com o Deus verdadeiro. Ele é o meu Deus, é a minha Luz, Ele me ajuda pessoalmente, individualmente.

     O que mais significa Jeová para Davi?

     ”O Senhor é a minha Salvação” Esta primeira frase, e todo o salmo, estão arranjados em estilo poético em paralelismo sinônimo, que enfatiza poderosamente as boas novas de que o Deus de Israel é um Deus Salvador. Deus não é uma idéia abstrata ou uma especulação filosófica para Davi. Deus Jeová é uma Pessoa que lhe traz luz e salvação.

     E ele completa:

     ”O Senhor é a Fortaleza da minha vida”. Ou seja, Deus é o meu Refúgio, é o Lugar em que posso me abrigar em meio ao perigo.

     Estas são 3 afirmações acerca de Deus. Lembre-se de que Davi fala acerca de Deus nos Versos 1-6.

     Qual é a conclusão? Se Deus é a minha Luz, a minha Salvação, o meu Refúgio? A conclusão vem em forma de pergunta, que já contém em si uma resposta implícita: “De quem terei medo?” “A quem temerei?” Não haverá temor. Davi possui segurança. Davi não temia aos falsos deuses: eles não existem. Davi não temia aos homens: eles são fracos como a carne. Davi não temia os demônios: nada podem diante de Deus.

     Então, Davi apresenta 2 circunstâncias perigosas e expressa sua confiança.

     1. Ele não teme quando seus inimigos vêm como animais ferozes, famintos, prontos para devorar suas carnes. Ele não teme porque sabe que eles serão confundidos e se destruirão a si mesmos mutuamente.

     2. Ele não teme ainda que venha um exército completo a guerrear contra ele, porque ele sabe que a maioria sem Deus não pode nada, e a minoria com Deus tudo pode.

     Assim, Davi apresenta uma introdução ao Salmo 27, enfatizando que o homem de confiança em Deus tem segurança e não teme. Possui uma fé inabalável em Deus e nEle está completamente seguro.

     Agora notemos: O QUE BUSCA O HOMEM DE FÉ? 3 COISAS:

I – O HOMEM DE FÉ BUSCA A CASA DE DEUS

Versos 4-6: “Uma coisa peço ao Senhor, e a buscarei: que eu possa morar na Casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a beleza do Senhor e meditar no seu templo. Pois, no dia da adversidade, ele me ocultará no seu pavilhão; no recôndito do seu tabernáculo, me acolherá; elevar-me-á sobre uma rocha. Agora, será exaltada a minha cabeça acima dos inimigos que me cercam. No seu tabernáculo, oferecerei sacrifício de júbilo; cantarei e salmodiarei ao Senhor.”

     Notável é a determinação e simplicidade de propósito da fé de Davi: “Uma coisa peço.” A consumidora paixão de sua vida é vista em apenas uma coisa. Davi não apresenta uma longa lista de pedidos. Ele simplesmente diz: “Eu peço uma só coisa ao Senhor e a buscarei.” Ele queria uma só coisa, mas era determinado a buscar e conseguir. Disse Jesus certa vez a Marta: “Marta, Marta, andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Entretanto, pouco é necessário, ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada.” Disse Jesus ao jovem rico: “Só uma coisa te falta.”

     Qual a natureza dos nossos pedidos a Deus? Talvez estejamos pedindo muitas coisas e esquecendo o essencial, o mais importante.

     Davi pedia e buscava uma coisa só: “morar na Casa do Senhor.” Davi não se refere ao tabernáculo terrestre, porque este ainda não havia sido construído. Salomão o construiu anos mais tarde. Ele se refere à própria habitação celestial, ele deseja morar na Casa de Deus no Céu. 

     1. POR QUANTO TEMPO? “Todos os dias da minha vida.”

     Que estímulo poderoso para aqueles que não agüentam ficar na igreja por algumas poucas horas. Quantos há que após uma hora já estão querendo sair. Outros entram e saem muitas vezes. Parece que não têm muito prazer em estar na casa de Deus. Davi queria morar na casa de Deus todos os dias de sua vida.

     2. COM QUE PROPÓSITO?

     (1) “Para contemplar a beleza do Senhor”. Davi crê que Deus é maravilhoso e gracioso no Seu templo. Davi deseja contemplar a beleza da santidade de Deus, e por isso pede e busca morar na casa de Deus. Poucos crentes hoje parecem ter descoberto tal atração em Deus; poucos é que possuem tal paixão por Deus.

     (2) Para “meditar no Seu templo”. Naquela época, Davi sentia o poder da meditação na adoração. De que maneira Davi procurava adorar a Deus? Não na maneira como os pagãos estavam procurando: eles olhavam para uma imagem de escultura e dirigiam suas petições para aqueles ídolos. Hoje ainda, você pode visitar os templos hindus ou budistas e ver a face dos seus deuses.

     Os israelitas não tinham qualquer quadro de seu Deus. Contudo, o crente hebreu tinha um quadro mental do caráter de Deus, e quando ele trazia o cordeiro sacrificial, ele contemplava a beleza do caráter e santidade de Jeová. Davi deseja, portanto, contemplar pela fé e meditar no templo de Deus a respeito de sua beleza e santidade.

     (3) Para oferecer “sacrifício de júbilo” e cantar louvores a Deus. (v. 6). Aqui está um aspecto importante da vida de todo crente: Ele oferece a Deus sacrifício de júbilo – ele canta louvores a Deus, ele se sente alegre por estar na casa de Deus. Ele diz: “Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor.” Você se alegra por estar na casa do Senhor? Você tem a alegria da salvação? Você pode dizer: “O Senhor é a minha Luz e a minha salvação?”  

     Com que propósito você vem à igreja? Alguns vêm para marcar um encontro social e ver os seus amigos. Alguns vêm simplesmente para satisfazer a vontade dos pais. Outros comparecem à igreja para mostrar como estão em dia com as modas do mundo ou reparar nas roupas dos seus irmãos. Outros ainda vêm ao templo de Deus para falar muitas coisas. Por que você vem à igreja? Qual é o seu propósito?

     Davi queria morar na casa de Deus para adorar em espírito e verdade, para contemplar a beleza do Senhor, para meditar no seu templo.      Você medita na igreja? Quão difícil em nosso tempo de tanta correria é encontrar pessoas meditando com a sua Bíblia, orando, vendo a Deus pela fé.

     Davi tinha uma fome e sede por Deus. Maria que escolheu a boa parte também tinha anseio por Deus, e ficou admirada assentada aos pés de Cristo para ouvir as Suas palavras. Ela deixou os deveres domésticos para ouvir a Jesus. Quando Cristo falou acerca de Deus, Maria estava ouvindo. Ela entesourou as palavras de Cristo como de supremo valor em sua vida.

     Podemos nós ouvir a Jesus como Maria? Sim, pela leitura cuidadosa do Evangelho de Mateus, Marcos, Lucas e João no NT. Estes vibrantes testemunhos nunca se tornam antiquados. Eles foram escritos não só para informar acerca dos fatos da vida de Jesus, mas para nos fortificar a fé para a vida eterna, para que crendo, tenhamos vida no nome de Cristo.      Esta é a força do cristão – meditar em Deus. Esta era a  força de Davi – contemplar a beleza do Senhor.

     O que acontecerá com tal homem no dia da adversidade? Ele há de temer? Ele há de fugir? Ele será destruído? De modo nenhum! Ele será salvo: “Deus me ocultará no Seu pavilhão”, disse Davi. Deus me recolherá para um lugar seguro. Ele vai colocar a você sobre uma rocha. Ele vai exaltar a sua cabeça acima dos seus inimigos.

     O tempo da calamidade está se aproximando deste mundo. Virão as     7 últimas pragas, quando os juízos de Deus serão derramados sem misericórdia, vulcões ativos derramarão suas lavas destruindo jardins, campos, vilas e cidades; terremotos arrasarão metrópoles, mas Deus será o alto refúgio dos que O buscaram. (PP p. 110).

II – O HOMEM DE FÉ BUSCA A PRESENÇA DE DEUS

Versos 7-10: “Ouve, Senhor, a minha voz; eu clamo; compadece-te de mim e responde-me. Ao meu coração me ocorre: Buscai a minha presença; buscarei, pois, Senhor, a tua presença. Não me escondas, Senhor, a tua face, não rejeites com ira o teu servo; tu és o meu auxílio, não me recuses, nem me desampares, ó Deus da minha salvação.   Porque, se meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me acolherá.”

     Aqui terminaram as expressões de ousada confiança e alegre triunfo. Parece que acabou toda a plena convicção. Esta é a 2a. parte do Salmo 27, e o humor de Davi muda drasticamente. As exuberantes expressões de segurança subitamente dão lugar aos lamentos e humildes súplicas, diretamente a Deus.

     1. De que modo Davi ora a Deus? Não mais se vê a fé confiante, triunfante, mas agora é militante. Agora Davi ”clamava” ao Senhor.

     Um pastor certa vez recebeu uma carta de uma jovem de Joaçaba, SC, onde, usando uma frase muito comum entre nós, ela disse entre outras coisas: “Pastor, ‘as minhas orações não passam do teto’. Não sinto que estou sendo ouvida. Parece que Deus está tão distante! Não sinto paz de alma. Estou passando por uma grande angústia! E Deus está tão longe, que parece que Ele nem Se importa comigo!”

     O que você deve fazer se isso lhe acontece? Como Davi orava? Ele clamava intensamente. Talvez isso seja a nossa necessidade: precisamos clamar, não só repetirmos orações vazias de fervor e de alma. Temos que derramar a nossa alma diante de Deus e clamar, insistir, perseverar.

     A seguir, Davi reconhece sua necessidade de perdão: “Compadece-Te de mim”. Ele pede compaixão. O seu problema não são os seus inimigos, que ele menciona mais embaixo, o seu problema são os seus pecados. À semelhança de Jacó, Davi reflexionou: ”Se eu tiver algum pecado não confessado, o Senhor me abandonará. ‘Mas, Senhor, perdoa-me, não me rejeites na Tua ira (a ira de Deus vem sempre motivada pelo pecado); perdoa-me, e então serei salvo de todos os meus inimigos.’”

     Davi agora luta com Deus em oração. Ele sente o perigo de ser desamparado por Deus, em Sua ira, e ele suplica misericórdia, compaixão e perdão. Ele quer estar seguro do perdão, para que possa receber o Seu auxílio. “Tu és o meu Auxílio, … ó Deus da minha salvação.”

     Lutar com Deus em oração – quão poucos sabem o que isso significa. Ao invés de lutar com Deus em oração e obter vitória, estão lutando contra Satanás e obtendo derrotas. Nossa primeira luta é com Deus, para buscar Sua presença, e insistir em que Ele demonstre a Sua misericórdia e perdão.

     2. Que resposta obteve Davi? Será que ele teve alguma resposta?

    Verso 8: “Ao meu coração me ocorre: Buscai a minha presença; buscarei, pois, Senhor, a tua presença.”

     Aqui está a verdadeira oração: diálogo, não monólogo. A oração não é um monólogo, antes é um diálogo. Você fala diretamente a Deus, e vai embora? É isso que nós lemos no texto? Não, você fala a Deus, e Ele fala ao seu coração. Você fala, e quando termina, você espera um pouco até ouvir a voz de Deus no seu coração. Você sairá cheio de poder espiritual.

     Davi sentiu essa experiência: Ele ouvia a voz de Deus no seu coração e na sua consciência. O mesmo pode acontecer com você. Ore a Deus, clame a Deus e então fique esperando a voz de Deus; não se levante, não seja tão apressado em suas orações. Fique um pouco mais, desfrute da presença de Deus. E você terá as respostas que procura.    

      3. Qual foi a súplica de Davi?

     ”Senhor, compadece-Te de mim e responde-me.” – A resposta de Deus é uma prova de Sua compaixão. ”Não me escondas a Tua face” – Ele queria a aprovação divina, a Sua presença. ”Não rejeites com ira o Teu servo.” Davi teme ser rejeitado por Deus devido aos seus pecados. Mas ao mesmo tempo, sua fé militante e tremente se apega a Deus como o Salvador de Sua própria ira: ”Ó Deus da minha salvação!”

     E ele adiciona uma palavra de segurança e fé em Deus: ”Se o meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me acolherá!”

     Alguns anos atrás uma jovem senhora se empregou como uma das enfermeiras para cuidar de um paralítico – que era um homem rico que se dedicava às corridas de cavalos. A vida dela era despreocupada, mas sob a atração do Espírito Santo se desenvolveu em seu coração o anelo de encontrar a Deus e o verdadeiro significado da vida. Visitava algumas igrejas, mas não encontrava paz.

     Uma noite, quando ela deixava seu turno, encontrou-se com uma enfermeira adventista que cuidava das crianças naquele lar. Sua conversação logo girou sobre temas religiosos e a senhora adventista compartilhou sua fé com a recém conhecida, que estava tão sedenta da água da vida. O pastor local lhe deu os estudos bíblicos. Ao mesmo tempo em que o ministro habilmente esboçava o quadro da verdade, ela muito contente escreveu aos seus pais com entusiasmo sobre sua nova fé.

     Inesperadamente seus pais a chamaram e questionaram suas novas crenças. Advertiram-na severamente que devia abandonar essa nova religião esquisita ou sua mãe sofreria um choque nervoso. A família era muito unida; por isso, a prova foi severa e a luta era intensa. Então, num dia, como uma resposta vinda do Céu, em meio à luta, sem saber o que fazer, em sua angústia, ela leu as palavras do salmista: “Porque, se meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me acolherá.” (Sl 27:10). Daí, sentiu forças para tomar a decisão final a favor de Cristo.

     A enfermeira jamais lamentou sua decisão de ser fiel a Deus. Embora seus pais nunca aceitaram a fé que ela amava, chegaram a ver com orgulho o serviço de sua filha no campo missionário e em instituições denominacionais em sua própria terra. Com efeito, Deus também jamais abandonará a você, aconteça o que acontecer.

III – O HOMEM DE FÉ BUSCA O CAMINHO DE DEUS

Versos 11, 12: “Ensina-me, Senhor, o teu caminho e guia-me por vereda plana, por causa dos que me espreitam. Não me deixes à vontade dos meus adversários; pois contra mim se levantam falsas testemunhas e os que só respiram crueldade.”

     Davi ainda temeroso – não é mais aquele que disse: “O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo?”. Agora ele está temeroso, ele pode ver as hostes inimigas que se levantam contra ele.

     Então ele pede, busca a orientação divina: “Senhor, ensina-me o teu caminho.” Senhor, qual é a Tua orientação? Ele havia dito: “O Senhor é a minha Luz”. Agora pede: “Senhor, ensina-me o teu caminho.” Mas Davi não sabe que o caminho é Deus mesmo? Olhe com fé para Deus e você saberá o caminho. Cristo disse: “Eu sou o Caminho, e a Verdade, e a Vida.” (Jo 14:6).

 Este é o grande paradoxo na vida cristã. Davi no princípio tem a certeza da salvação, e da vitória nos versos 1-6. Agora, nos versos 7-14, ele se mostra temeroso. Davi ouviu de suas falsas testemunhas, e teme ser afligido pelos seus inimigos. Este é o paradoxo.

     Muitas vezes a fé descansa em Deus e está confiante – o cristão não teme nada. Outras vezes, a fé está em luta com o inimigo, então o cristão parece temeroso, ele se humilha diante de Deus e pede a Sua presença, e com isso, a Sua misericórdia, pede a Sua orientação, ele quer saber do caminho de Deus, e ele espera pacientemente em Deus, e vence o desespero que o ameaçava.

     Finalmente, o salmo tem também uma conclusão. Este é um salmo didático: possui introdução, corpo e conclusão.

CONCLUSÃO: O HOMEM DE FÉ TEM ESPERANÇA

Versos 13,14: “Eu creio que verei a bondade do Senhor na terra dos viventes. Espera pelo Senhor, tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo Senhor.”

     Esta é a conclusão. Davi estava em desespero, mas agora a convicção e a esperança renascem da fé confiante. O Verso 13 apresenta a convicção: “Eu creio”. Eu sei que verei no futuro a bondade de Deus. Ele tinha fome da bondade divina. Ele mesmo foi quem disse no salmo 23: ”Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do Senhor para todo o sempre.” O Verso 14 apresenta a esperança: “Espera pelo Senhor”. O cristão se reanima da crise para a esperança e vai se fortalecendo.

     Aqui na conclusão, novamente o paradoxo: Quando Davi fala de Deus (v. 1-6), sua fé é forte; quando Davi fala de si mesmo, sua fé é fraca, mas vai descansando em Deus. No 1.º verso, Davi fala de certeza de salvação; no último, de esperança. Ora, se ele já possui a salvação no v. 1, como a espera no v.14?

     Moody certa vez disse: “Quando penso em mim mesmo, não vejo como posso me salvar; quando penso em Jesus, não vejo como posso me perder.”

     Foi o que ocorreu com o salmista: Quando contemplava a Deus, tinha certeza de salvação; quando contemplou a si mesmo, ainda tinha que esperá-la. Davi, como vimos, ilustra a história do homem de fé. Ele tem certeza de salvação, mas ele também a espera.

     O homem de fé busca a Casa de Deus, a Presença de Deus, o Caminho de Deus, e isso tudo é uma só coisa: O homem de fé tem sede de Deus, e ele O busca ansiosamente.

     Essa é a nossa vida cristã. Se você teve altos e baixos em sua experiência, isso teve Davi, Paulo e todos os cristãos. E se você agora atravessa uma fase difícil, “espera pelo Senhor, tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo Senhor.” (verso 14)

     Então você poderá dizer: “O Senhor é a minha Luz e a  minha Salvação.  De quem terei medo? O Senhor é a Fortaleza da minha vida; a quem temerei?”

Novo Código Penal: entenda o que é e o que pode mudar na vida do cristão se for aprovado

A elaboração de um novo Código Penal por parte de juristas, a pedido do Congresso Nacional,  está gerando polêmica entre políticos pertencentes à bancada evangélica e também entre especialistas no assunto.

Durante sete meses, a equipe de juristas revisou as atuais leis em vigor, elaborou propostas de substituição e estudou leis que encontram-se paradas e em discussão no Congresso, formando um texto único, identificado como PLS 236/2012.

A polêmica encontra-se no fato de que algumas das leis inseridas no novo Código Penal não foram aprovadas em projetos isolados, ou ainda estão em discussão por parte dos políticos e sociedade em geral.
Temas como legalização do aborto, eutanásia, criminalização da homofobia, legalização da prostituição, descriminalização das drogas, violência contra crianças e favorecimento à pedofilia, estão entre os assuntos que seriam aprovados ou teriam uma legislação mais branda.

Segundo a Dra. Damares Alves, assessora jurídica da bancada evangélica, há o risco de que os temas acima sejam aprovados junto com outras medidas pertencentes ao novo Código Penal.

-Entendemos que estamos diante de um dos maiores desafios que os parlamentares defensores da vida e da família já enfrentaram no Congresso Nacional. Todas as nossas bandeiras, todas as nossas lutas estão sendo abordadas no Novo Código Penal. Tudo que há anos conseguimos impedir a aprovação no Legislativo agora se apresenta como solução para que se tenha mais segurança e para que se diminua o crime no Brasil, com o objetivo de assim convencer a sociedade a favor das questionáveis propostas – observa a Dra. Damares Alves.

O texto da nova lei traz ainda, no quesito crime cibernético, um risco à emissão de opinião na internet, prevendo punições em determinados casos.

A questão em torno da homofobia é um dos temas que a Dra. Alves demonstrou preocupação: “No PLS 236/2012 está explícito que falar da homossexualidade poderá ser considerado até mesmo crime contra a humanidade”, observou.

O senador Magno Malta, que fará parte da Comissão do Senado que analisará a proposta elaborada pela equipe de juristas, fez convite, segundo a Dra. Damares Alves, a juristas, juízes, promotores e penalistas para montar uma equipe de trabalho que analisará cada um dos 443 artigos existentes na proposta do novo Código Penal.

No blog da Frente Parlamentar Evangélica há um pronunciamento da ADHT – Defesa da Família e do Casamento Tradicionais; contra o Aborto e contra todo proselitismo, assédio e aliciamento de crianças, adolescentes e jovens por Ativistas Homossexuais, afirmando que o novo Código Penal limita “as liberdades de imprensa, expressão e religiosa, principalmente, estão em perigo com o novo Código Penal, pois de maneira ‘sorrateira’ impõe leis que serão uma afronta a nossa democracia”.

O texto da ADHT convoca os interessados a participar dos debates, que precisam ser intensificados até o dia 04/10, data prevista para a votação do PLS 236/2012: “Levante-se contra isto, não aprove as mudança propostas pelo Judiciário. Eles querem dominar o povo brasileiro”.

"Abençoar alguém é norma diária daqueles que são chamados filhos de DEUS."
"Vida com Deus,vida pra Deus"

Eclesiastes 9:8

PORQUE DEVEMOS ESTAR SEMPRE NOS PREOCUPANDO COM A VIDA ESPIRITUAL.(MT6:33)

É MARAVILHOSO ESTAR BEM COM DEUS E TER A CERTEZA QUE NADA NEM NINGUÉM PODE NOS ACUSAR dEVEMOS PROCURAR MUDANÇA A CADA DIA (HB.8:12) Porque serei misericordioso para com suas iniqüidades, E de seus pecados e de suas prevaricações não me lembrarei mais. 

O QUE VOCÊ FEZ ANTES ACABOU ,POIS AQUELE QUE ESTA EM CRISTO É NOVA CRIATURA,AS COISAS VELHAS JÁ PASSARAM E TUDO SE FEZ NOVO.

OLHE PRA DENTRO DE VOCÊ E VEJA DE FATO ,QUE JESUS CONSUMOU TUDO PARA NOS DAR VIDA„E VIDA ABUNDANTE,AS ESCRITURAS SAGRADAS APRESENTA O DIABO COMO LADRÃO (JO.10:10).

CERTA VEZ JESUS CONTOU UM PARÁBOLA  (MT 25:1-13)

DEZ MOÇAS VIRGENS:,TODAS AGUARDAVAM O NOIVO,MAS CINCO SE CANSARAM E DORMIRAM,MEIA NOITE OUVE-SE UM GRITO,”AI VEM O NOIVO”

AS MOÇAS QUE DORMIRAM FORAM VENCIDAS PELO CANSAÇO,DESCUIDARAM-SE DA VIDA ESPIRITUAL,

MAS AS OUTRA CINCO AGUARDAVAM CUIDADOSAMENTE A VINDA DO NOIVO.

AQUI NOS PODEMOS QUALIFICAR DOIS TIPOS DE CRISTÃOS.

HOJE É TEMPO DE CONCERTO,É TEMPO DE ESTARMOS AGUARDANDO CUIDADOSAMENTE A VINDA DE CRISTO,AS ESCRITURAS SAGRADAS REVELA QUE” ELE”VIRÁ COMO UM RELÂMPAGO ,E QUE VIRÁ A HORA QUE NINGUÉM ESPERA,.

ANALISANDO MATEUS 24 PODEMOS ENTENDER O QUANTO ESTÁ PRÓXIMA A VIDA DO SENHOR NO V,14 NOS EXPLICA O QUE FALTA PARA ELE VIR NOS BUSCAR.

NUNCA É TARDE PARA UM CONSERTO COM DEUS,NÃO DEIXE SATANÁS ROUBAR A SUA FÉ,A SUA CERTEZA DE SALVAÇÃO ,NUNCA SE CANSE DE BATER NA PORTA DE DEUS E SE HUMILHAR E ENTENDER QUE PRECISAMOS DE AJUDA E SOCORRO,E ELE É “SOCORRO BEM PRESENTE NA HORA DA ANGUSTIA .

EXISTEM DOIS CAMINHOS ,O LARGO E O ESTREITO,O LARGO É PARA AQUELES QUE NÃO A CORAGEM DE ASSUMIR E DE SE HUMILHAR PERANTE DEUS,E O CAMINHO ESTREITO É O CAMINHO QUE NOS LEVA A RENUNCIAR E SE HUMILHAR DIANTE DE DEUS PARA OBTER SEU PERDÃO .

QUE DEUS NOS AJUDE A PROSSEGUIR COMO BOM SOLDADO DE CRISTO JESUS.

PRA.MARENILZA COUTO

"Vida com Deus,vida pra Deus"

                           Rude cruz se erigiu, 

Dela o dia fugiu, 
Como emblema de vergonha e dor; 
Mas contemplo esta cruz. 
Porque nela Jesus 
Deu a vida por mim, pecador.

Sim, eu amo a mensagem da cruz 
Té morrer eu a vou proclamar; 
Levarei eu também minha cruz 
Té por uma coroa trocar.

Desde a glória dos céus, 
O Cordeiro de Deus, 
Ao Calvário humilhante baixou; 
Essa cruz tem pra mim 
Atrativos sem fim, 
Porque nela Jesus me salvou.

Nesta cruz padeceu 
E por mim já morreu, 
Meu Jesus, para dar-me o perdão 
E eu me alegro na cruz, 
Dela vem graça e luz, 
Para minha santificação.

Eu aqui com Jesus, 
A vergonha da cruz 
Quero sempre levar e sofrer; 
Cristo vem me buscar, 
E com Ele, no lar, 
Uma parte da glória hei de ter.